Robson de Andrade: O futuro da produção industrial

A tecnologia vem avançando todos os dias e dezenas de inovações são criadas no mundo e no Brasil. Estimular essa área de pesquisa é essencial para o crescimento da indústria brasileira e garantir competitividade a ela frente as empresas internacionais. A ideia é incorporar, em larga escala, a tecnologia ao setor industrial do nosso país.

Assim, vários recursos tecnológicos podem ser incorporados, desde a internet em si, ajudando na programação e controle de tarefas, até outros como big data, inteligência artificial, impressão 3D, manufatura híbrida, robótica avançada e computação na nuvem. Isso é o que se chama de indústria 4.0.

O que é indústria 4.0?

Você já deve ter ouvido falar sobre a tecnologia no setor industrial, mas provavelmente não sabia que isso tinha o nome: é chamado de indústria 4.0. Também conhecida como manufatura avançada, a indústria 4.0 diz respeito à incorporação, ou seja, a fusão do mundo real com o virtual.

Isso já acontece bastante nos setores mais superiores da empresa. A ideia agora é também adicionar essa tecnologia ao chão de fábrica permitindo assim a possibilidade dos clientes e dos gestores da indústria terem, em tempo real, os números da produção. Essa tecnologia também permite a automação, ou seja, interromper o iniciar o maquinário de forma automática, por exemplo.

A indústria 4.0 no mundo e no Brasil

As grandes potências mundiais já investem um grande capital para modernizar suas indústrias e tornar os produtos mais baratos e assim, mais competitivos no mercado. Isso porque a tecnologia tem como uma das vantagens reduzir o custo de mão de obra para as indústrias e assim, o consumidor passa a ter um custo de vida menor.

Isso já ocorre em diversos países como Alemanha, Estados Unidos e China que visa como principal objetivo ser reconhecida como um país altamente industrializado.

Para que o Brasil também possa colocar no mercado produtos finais com preços tão competitivos, é necessário realizar essa transição para a indústria 4.0. Robson de Andrade presidente da CNI, já vem falando sobre o assunto e no ano de 2016 teve como um de seus objetivos chamar a atenção das empresas nacionais para essa mudança tão necessária.

Iniciativas promovidas pela CNI

A primeira dessas iniciativas começou por meio de uma pesquisa que mostra o ainda baixo investimento em tecnologias digitais na indústria brasileira. Além disso, ainda há um profundo desconhecimento sobre o assunto, não apenas pelo setor privado como também pelo governo.

A segunda iniciativa também se baseou em pesquisas. Dessa vez, foi realizado um mapeamento no nosso país sobre os desafios que são enfrentados pelas indústrias nacionais para implementar essa mudança digital. O primeiro passo para que esses desafios sejam removidos é mostrar a importância dessa transição para a indústria 4.0.

Há dois pontos importantes e mais urgentes a serem discutidos. O primeiro ponto é o fato de que empresas que ofereçam essas tecnologias precisem ser instaladas no nosso país. Assim fica mais fácil para as indústrias se modernizarem e também geraria mais empregos.

O segundo ponto é quanto às regras para a implantação dessa tecnologia. Por exemplo, é necessário criar leis sobre a proteção dos dados na internet, a cibersegurança, as relações trabalhistas envolvendo homem e máquina e também a inserção de um novo tipo de profissional no mercado de trabalho.